Por que carro de leilão desvaloriza?


Para início de conversa é necessário compreender as razões de um veículo ir à leilão. Existem diversos motivos, no entanto, trarei para este diálogo os mais frequentes.

  • SINISTRO

  • BUSCA E APREENSÃO

  • DÍVIDA ATIVA

SINISTRO


O primeiro e mais famoso é o leilão proveniente de sinistro. Aplica-se a esta modalidade de leilão as ocorrências de perda total por colisão e a quitação do seguro quando da ocorrência de roubo e furto do veículo.

  • Colisão: Algumas seguradoras determinam o percentual para declarar quando o veículo é perda total. Neste caso, a seguradora calcula o percentual de investimento que terá que fazer para recuperar o carro, dependo da intensidade da destruição, elas preferem indenizar o seu cliente e recolher o carro para algum pátio de leilão. Como todos já sabemos, as empresas seguradoras não jogam para perder e sabem que, de alguma forma, irá recuperar parte do valor indenizado, quando o veículo for vendido no leilão.

Ocorre que, este veículo indenizado pela seguradora jamais deveria retornar ao mercado, dado que está deteriorado ao ponto de não ser considerado recuperável pela seguradora. No entanto, empresas especializadas em recuperação de carros de leilões, adquirem essas SUCATAS e as restauram, fazendo-as parecer carros, novamente.


Quando adquirimos um veículo proveniente de leilão - fruto de colisão - estamos comprando um carro que foi destruído e recomposto. As empresas que recuperam carros de leilão, com frequência, compram peças velhas em sucatas, o que torna o veículo recuperado, duplamente perigoso. Essas sucatas deveriam sair do mercado, mas infelizmente isso não acontece.


Resumo: A depreciação do carro de leilão por colisão é alta porque o carro foi completamente mexido e recuperado a partir da junção de outras sucatas. Não bastasse este fato concreto, há também o estigma cunhado pela própria seguradora, no momento em que realiza a liquidação e indeniza o seu cliente.

  • Roubo e Furto: As seguradoras criaram recursos para realizar a recuperação do carro roubado ou furtado. A maioria conta com sistemas de monitoramento e sabem exatamente onde um veículo está, após roubado. Tempos atrás, as seguradoras realizavam a quitação do sinistro por roubo e furto trinta dias após registrada a ocorrência, hoje, é bem mais rápido.

O veículo proveniente de leilão de roubo e furto é uma incógnita, pode estar perfeito ou destruído, dependendo da motivação do ladrão. Segue as mais frequentes:

  1. O veículo pode roubado para servir de loja de peças para outro veículo sinistrado, porém sem passagem por leilão.

  2. O veículo pode ser roubado para auxiliar em uma ação criminosa: outro roubo ou uma fuga.

  3. O veículo pode ser roubado para atender as demandas do tráfico.

Nestes casos, a degradação do veículo dependerá do modo como ele foi recuperado. Se a seguradora entender que o veículo será devolvido ao cliente, mesmo que ocorra alguma necessidade de recuperação, este não será considerado veículo de leilão, apenas constará como roubado e recuperado na base de informação nacional. Quando isto ocorre não há passagem por leilão, portanto, a depreciação costuma ser menor.


Por outro lado, se a seguradora não conseguiu recuperar o carro atempo de entregar ao seu cliente e precisou honrar com a quitação do carro, este tornar-se-á produto de leilão. A seguradora quita o bem, registra o carro como leilão e envia para o seu leiloeiro vender. Quando isto ocorre, o veículo entra na mesma classificação de risco que o salvado por colisão.


A expressão salvado, origina-se exatamente do fato de a seguradora conseguir ter salvo o patrimônio indenizado, podendo recuperar parte da sua perda com ele.


De um jeito ou de outro, seja por colisão ou roubo e furto, esses carros são vendidos por preços muito baixos. Quem compra e recupera um carro salvado, na maioria das vezes, consegue fazer isso com margem de lucro absurdamente vantajosa. Entretanto, para quem compra sem saber que o carro é salvado, o prejuízo é absurdamente alto.

BUSCA E APREENSÃO


O leilão de busca e apreensão ocorre quando uma instituição financeira não recebe o valor emprestado para a aquisição do bem. Na maioria das vezes, os carros originários de leilão de BA (busca e apreensão) estão bem cuidados. Ainda que não tenham experimentado nenhuma categoria de sinistro, os carros de BA também são taxados como carros de leilão e também recebem a rejeição do mercado.


DIVIDA ATIVA


O leilão de dívida ativa ocorre quando o veículo está com as taxas estaduais em atraso. Quando um veículo é apreendido e conduzido ao depósito público, já poderá ser vendido em leilão. A maioria das pessoas que têm seus carros apreendidos se esforçam para reaver seu bem, entretanto os que não dispõem de recursos para saldar a dívida perdem seus carros para o estado, que os leiloa e quita os débitos.


Os carros apreendidos com dívidas podem ser comparados ao de BA de financeiras. São carros que estão em uso, porém com débitos a quitar.


Agora que compreendemos o que leva um carro ao leilão, podemos definir o motivo de desvalorização. No caso de sinistro, seja por colisão ou roubo e furto, está claro que o carro pode ter sido completamente mexido, sendo sua estrutura motivo de preocupação.


Os carros retomados, seja por bancos ou pelo estado, recebem depreciação por estarem classificados como leilão, ainda que estejam em excelente estado.


Se decidir comprar um carro de leilão, escolha carros de bancos ou dívida ativa. Apesar de depreciados, você terá a certeza que o carro não sofreu nenhum dano estrutural. Quando decidir vender o seu carro adquirido em leilão, deixe claro no anúncio. Isso fará com que, somente pessoas que comerciam esta categoria de carro contactem você.


A Avaliar e Vender não comercializa carros de leilão. Todos os veículos que negociamos são checados e periciados criteriosamente.


Quando estiver comprando um carro e precisar de ajuda para ter certeza da sua integridade, pode nos chamar para realizar a inspeção. Checamos o carro todo, inclusive pintura e mecânica, realizamos um check-list completo da documentação e vida pregressa do carro, fazemos o laudo cautelar, onde os pontos críticos que indicam sinistro serão avaliados.


Espero ter ajudado a esclarecer um pouco sobre o vasto conteúdo que é a negociação de carros de leilão. Continue pesquisando a respeito e se precisar de mais esclarecimentos, deixe a mensagem e iremos responder.


Se desejar algum assunto diferente do que tratamos nos nossos posts, favor deixar a mensagem e teremos o prazer de esclarecer.


Um forte abraço!


Robison Lopo

Diretor-executivo

Avaliar e Vender - Carros





66 visualizações0 comentário