Os segredos por trás da negociação de veículos usados fora da concessionária.

Atualizado: Fev 17

Quais cuidados você deve tomar antes de vender o seu carro para um desconhecido.



Vender o carro fora da concessionária pode ser uma possibilidade muito interessante para rentabilizar a negociação. Nem sempre o que o concessionário paga no seu carro é o que ele realmente vale.


Você investiu dinheiro no seu carro, cuidou dele com muito carinho e um avaliador de concessionária avalia o seu carro como se fosse mais um entre muitos, isso seria terrível não é verdade? De fato é o que acontece com frequência. Eu avaliei muitos carros na minha longa carreira no setor de automóveis, em alguns eventos, avaliávamos mais de 100 carros em apenas um dia. O preço era atribuído sem muito planejamento, estava muito relacionado com a necessidade da negociação ou com o estado do carro. Exemplo: o carro era bom e o vendedor precisava de um determinado valor para fechar o negócio, pagávamos. Por outro lado, se o carro fosse ruim, feio ou mal cuidado, nós pagávamos um valor baixo para, se o carro entrasse na negociação, ter margem para revenda.


Essa perspectiva ainda é muito comum, quando o veículo é avaliado em concessionária. Com exceção do carro pouco rodado (km baixa), sem detalhes de pintura, pneus novos, ou seja, um filé, como se diz no mercado, todos os outros serão avaliados sem considerar o potencial de venda, mas apenas a perspectiva de gastos. Esse entendimento é interessante, se você realmente deseja de fato valorizar o seu veículo. Compreender que o seu carro é mais um, na multidão, te dará a noção exata de que o avaliador está pensando em quanto ele ganhará com o seu carro e não você. Em última análise, eles não precisam do seu carro, uma vez que realizam inúmeras avaliações todos os dias e o seu é apenas mais um.


Essa visão muda completamente quando você vende para um particular ou para um lojista. O seu poder de barganha cresce, uma vez que estes dois personagens precisam do seu carro. O primeiro deseja o seu carro para usar, enquanto o segundo, o quer para revender. É óbvio que ambos pagarão mais pelo seu carro, no entanto, alguns cuidados precisam ser tomados para que o negócio não se transforme em um grande problema.


  • Não receba pessoa em sua casa sem saber antes quem ela é;

  • Quando for vender para lojista, peça os seus dados e questione sobre a sua loja ou empresa de repasse;

  • Evite vender para pessoas físicas que compram para repassar à lojista, eles não te darão suporte e há o risco de não transferir o carro e você ainda ficará com a responsabilidade civil e criminal em relação ao carro;

  • Se o comprador for particular, combine de mostrar o carro em local público, com bastante movimentação (supermercado é uma boa dica