Meu carro está arranhado, devo pintar para vender ou deixo assim mesmo?




Quando o carro é avaliado por um profissional, ele pode observar as diferenças na textura da pintura. Quando o veículo sofre uma repintura em uma oficina particular, fica muito fácil descobrir que o serviço foi realizado. Isso ocorre devido à falta de estrutura das oficinas de pintura. As chamadas oficinas de fundo de quintal não possuem estufa, secadores e os recursos necessários e apropriados para entregar o serviço de primeira linha.


Apesar de ser mais caro, as concessionárias costumam oferecer esses serviços com um nível mais elevado de qualidade. Ainda assim, para os profissionais que irão avaliar o carro, a repintura será detectada. Isso também ocorre pelos vestígios deixados pelo pintor (que nós chamamos de olho de peixe). Ainda que possua uma estrutura mais adequada, com estufa, secadores apropriados, etc., a oficina de pintura de uma concessionária não possui a mesma eficiência que a fábrica (pintura original) oferece.


Nesta segunda hipótese, a poeira é responsável por deixar os vestígios que os avaliadores observarão para atestar que o carro foi repintado. Após realizar o serviço, o pintor abre a estufa e deixa o veículo ou a peça pintada no processo de secagem. A estufa existe para evitar que agentes externos alcancem a área pintada, no entanto, a poeira sempre alcança a peça e deixa sua marca.


Para responder ao questionamento do blog: devo pintar o carro para revender, será necessário definir à quem se destinará o veículo. Se for vender para outro particular, será melhor que faça o serviço, mesmo que a qualidade seja questionável. Nem todos os compradores particulares possuem capacidade para observar a qualidade da pintura, para a maioria, é importante que o carro esteja pintado.


Por outro lado, quando o veículo é negociado para lojistas ou concessionárias, é melhor deixar o carro arranhado ou com o serviço por fazer.


Você deve estar se perguntando, como assim? Calma, vou te explicar.


O avaliador quando percebe uma repintura, não sabe exatamente o que aconteceu com aquela peça ou em seu entorno. Na dúvida, o medo toma conta dele e a depreciação costuma ser maior do que realmente deveria ser. Quando o arranhão está presente e a pintura ainda é original, o avaliador apenas aplicará o custo de repintura, sem receios.